Entre «erros de casting» e «lapsus linguae»

Paulo Tunhas escreve no Pulo do Lobo: «Por algum motivo difícil de descortinar, os candidatos sentem-se na obrigação de terem mandatários para a juventude. Contrariamente à de Soares, os de Cavaco e Alegre são discretos e a gente quase nunca os vê (os de Jerónimo de Sousa e Louçã eu nem sequer sei quem são). Sábia atitude». Paulo Tunhas não terá medido bem as suas palavras. Uma candidatura que no seu próprio site tem uma comissão específica a que chama Jovens por um Portugal Maior certamente dá importância à juventude, não tendo escolhido uma mandatária por "frete". Embora às vezes seja isso que parece. Rodrigo Adão da Fonseca

Comentários

Mensagens populares