09 junho 2006

SMS

Ontem apercebi-me, à hora de almoço, no Atrium Saldanha, que entre os adolescentes existe uma verdadeira "praga": os SMS; quando o edifício ficou totalmente às escuras, parecia que estávamos em Fátima, na Procissão das Velas. À noite, ao jantar em casa de amigos, comentei o ocorrido, e foi aí que me apercebi da real dimensão do problema: a sua filha de quinze anos explicou-me que alguns chegam a enviar - pasme-se - mais de 200 SMS's por dia(!); sendo normal enviarem-se cerca de 100. Ao que parece, existem milhares de estudantes que passam aulas inteiras em plena "interacção telefónica", o que, presumo, os impeça de ouvir o que quer que seja. Aos SMS junta-se o messenger e outros serviços de instant messaging. A concentração só se consegue num ambiente com um mínimo de serenidade. Pergunto-me como é que os adolescentes de hoje se conseguem concentrar, se são sobressaltados sistematicamente com factores de alienação, como sons de mensagem, janelas a abrir e a fechar no ecrã, se estão permanentemente em alerta para saber se existem "novidades", as quais surgem a cada momento. Numa altura em que tanto se discute a Escola, a Educação, acho que valeria a pena reflectir sobre esta realidade; as verdadeiras reformas começam pelas questões mais simples. Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: