09 novembro 2006

Portugal em Provérbios

A "actualidade" vista à lupa da "sabedoria popular":
*****
Aos olhos da inveja todo o sucesso é crime
Bem mal ceia quem come de mão alheia
Cada cabeça cada sentença
Cada um por si e Deus por todos
Casa onde não há pão, todos berram e ninguém tem razão
Casa roubada, trancas à porta
Com um olho no burro e o outro no cigano
Em terra de cegos quem tem um olho é rei
Nem tudo o que reluz é ouro
O pior cego é o que não quer ver
Quem com porcos se mistura farelos come
Quem não chora não mama
Quem não tem cão, caça como gato
Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte, ou é tolo ou não tem arte
Quem tem padrinho não morre pagão
Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita
São mais as vozes que as nozes
Se os "ses" fossem feijões, ninguém morria à fome
Um burro carregado de livros é um doutor
Uma mão lava a outra e ambas lavam a cara
*****
E, por fim ...
Deus me dê paciência e um pano para a embrulhar
Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: