27 dezembro 2005

RAF back in business lança micro-causa (alterado)

Pérolas do Diário da República de hoje: DPR 74/2005 - Nomeia, sob proposta do Governo, o ministro plenipotenciário de 1ª classe António Augusto Jorge Mendes como Embaixador de Portugal nas Ilhas Cook.

Área territorial (não marítima): 233km Número de Ilhas: 15 População: 18 mil habitantes Sendo as Ilhas Cook um território administrado pela Nova Zelândia, não bastaria uma embaixada nesse país da Polinésia? Ou a importância económica das Ilhas Cook justifica uma embaixada autónoma? O nosso representante em Rarotonga - capital deste arquipélago de 15 ilhas - terá certamente tarefa árdua para sobreviver no fim do mundo, entre mergulhos, caça às pérolas e sightseeings pelas várias ilhas.

"Portuguese diplomats in action"

[original painting on cotton by Andrea Eimke, Atiu]

Esta vai ser a minha micro-causa, quero ser embaixador num qualquer arquipélago perdido da Micronésia (mas com Internet). Quem é que também quer fazer parte do corpo diplomático nas Ilhas Cook? Rodrigo Adão da Fonseca

PS: A entidade paternal do RAF (que descobri anda a contribuir também para o site meter), na habitual linha de defesa da honra do Corpo Diplomático, altertou-me - e bem - para o facto de a Embaixada nas Ilhas Cook ser certamente assegurada, fisicamente, pelo Embaixador de algum país da Região. É o que ocorre neste caso, estando a Embaixada nas Ilhas Cook sob a alçada de Camberra. Um post tão divertido para o Recycle Bin. Permanece a micro-causa: RAF para Camberra (na Austrália também há peixinhos...).

Sem comentários: