02 janeiro 2006

Banca não é capital de risco

O Miguel Portas mais uma vez confunde banca com capital de risco. Os bancos têm um objecto próprio - que não acomoda o capital de risco.
O negócio bancário é, por definição, avesso ao risco. Os accionistas dos bancos, quando investem neste tipo de activos, procuram empresas de baixo risco.
As empresas de capital de risco têm o seu lugar próprio; em Portugal o capital de risco não tem materialidade, em boa medida porque os portugueses são avessos ao risco, em grande parte porque não há condições de concorrência.
Na verdade, o peso excessivo do Estado e uma economia condicionada e pouco transparente conduzem a que os detentores do capital arrisquem, sim, mas noutras paragens. A globalização tem destes inconvenientes: cada um investe onde lhe dá na gana, e onde ganha dinheiro...
Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: