08 fevereiro 2006

A força das ideias e da iniciativa

Ainda não tinha escrito sobre a OPA da Sonae lançada sobre a PT porque queria ter alguns elementos que me permitissem compreender um pouco melhor a operação. O que se conclui, desde já, é que uma empresa com menos de dez anos, que ao longo da sua curta vida sempre lutou pelas regras do mercado, em todas as instâncias, de uma forma transparente e exemplar, pretende engolir um dos maiores símbolos do estatismo e da inércia, da empresa de tutela e muleta estatal, um dos maiores inimigos da concorrência. Esta OPA vem provar que vale a pena as empresas - e sobretudo quem as lidera - terem estratégia e lutarem por ela, em vez de se perderem em alianças pessoais e pequenos jogos de poder conjuntural. Prova, também, que estão errados os chamados «práticos» e «pragmáticos», que acham que em Portugal não são possíveis rupturas; e que estão certos os que partem para o terreno a partir de uma ideia correcta, e a trabalham com persistência e tenacidade. Belmiro e Paulo de Azevedo, e todos os que com eles colaboram, estão de parabéns. Poucas pessoas podem orgulhar-se de terem feito - no mercado, nas empresas e no fomento do emprego e da economia - tanto por Portugal. Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: