25 julho 2006

Colaboração com a Revista Atlântico

A partir do número de Agosto, vou colaborar com a Revista Atlântico. Ao longo dos últimos meses considero que o Paulo Pinto Mascarenhas e Cia. têm feito um grande esforço no sentido de melhorar a qualidade da revista, tornando-a plural, nas abordagens e nos temas, sem deixar de manter uma coerência editorial rara em Portugal. A revista consegue além do mais conjugar temas sérios com colunas descontraídas e variadas (algumas, até, das supostamente menos destacadas, são para mim as mais interessantes) que a tornam valiosa do início ao fim. Por me rever com a nova abordagem da revista, aceitei de bom grado e motivado a colaboração proposta; numa fase inicial, irei dinamizar um espaço onde vamos lançar para o debate reflexões, num prisma liberal, sobre algumas áreas das políticas públicas onde impera um franco défice de discussão. Apenas escreverei sobre temas que domine, e assumo com os leitores o meu habitual compromisso de apresentar artigos cuidados e previamente bem estudados. Quem me conhece, sabe que estou fora da escrita a "metro". Irei, assim, procurar contribuir para um debate ainda estéril em Portugal: não o da discussão do liberalismo - que existe - mas o das políticas públicas, num prisma liberal, cujos pressupostos não são necessariamente os mesmos. Pretendo, assim, dar o meu pequeno contributo para uma alternativa liberal, ao nível das ideias, e no plano das políticas, num exercício de cidadania. No número de Agosto, debate-se aquele que tem sido o sector que carece de uma maior e mais urgente reforma, e que, embora ténue, tem sido já promovida pelos três últimos governos - a Saúde e o SNS. Quem estiver à espera de silogismos fáceis, não vai gostar do artigo; o debate, ainda assim, está em aberto. E até ao número de Setembro! Rodrigo Adão da Fonseca PS: A capa deste número é fenomenal.

Sem comentários: