03 setembro 2006

Blue Music: Aqui no hay playa - Los Refrescos

Aqui no hay playa - Los refrescos (1989)
Hoje, num jantar com amigos, a dada fase, recordaram-se com nostalgia as férias da adolescência. Vacaciones com pouco dinheiro e conforto, mas cheias de animação. O Blue Lounge recupera um dos hits que marcou as noites de alguns veraneantes lusos - entre os quais, moi même - que nos anos noventa zarpavam para a movida de Espanha. Los Refrescos. Um must.
Esta música é especialmente dedicada ao Paulo Pinto Mascarenhas e a todos os que em Lisboa olham com desdém para os políticos do Norte. Recordo o escrito pelo PPM, na revista Atlântico deste mês (página 5): "as contínuas polémicas e os factos que as originam (...) dizem tudo sobre a decadência das elites portuenses. Discutem-se detalhes e deixa-se o Porto - talvez a melhor cidade de Portugal - entregue à mediocridade do costume (...) Rio, Filipe Meneses ou o peripatético Rui Moreira vão certamente deixar rasto. Duvida-se é que deixem memória". O Porto tem algum défice de estratégia; Agora, não deixa de ser risível que uma Lisboa que tem como protagonistas Carmonas Rodrigues, Manueis Maria Carrilhos e suas Bárbaras, Antónios Pretos e Isaltinos, com romances de assessores, Parques Mayers, túneis do Marquês, festas dos santos sem adesão popular, revanches em forma de livro, entre muitas outras telenovelas, tente diminuir Rui Rio, Luis Filipe Meneses e Rui Moreira, personalidades com prestígio e obra feita, cada um no seu campo. Nem são mediocres nem a eles se deve alguma da decadência da cidade. Mais: o Porto e os seus habitantes dispensam bem o paternalismo lisboeta, e a forma condescendente como falam da sua cidade. Ficamos satisfeitos se pudermos não ter de financiar a corte... Rodrigo Adão da Fonseca
Adenda: Diz o PPM, na caixa de comentários:
Caro Rodrigo, Só para esclarecer que não fui eu quem escreveu as linhas que me atribuis. Aquelas duas páginas são escritas por diversos colaboradores e até te posso garantir que o autor da referida frase é portuense de gema - e com algum orgulho. Mais, se queres saber, nem sequer a subscrevo no que diz respeito a Rui Moreira, que aprecio pelo menos como comentador (na política e no futebol, mesmo sendo do FCP). Um abraço, PPM
Muito bem. Em qualquer caso, então, este tipo de frases deveriam estar referenciadas (nem que fosse só com as siglas).

Sem comentários: