01 setembro 2006

E ganhou duas vezes as eleições no EUA

Escreve o Daniel Oliveira, no seu Arrastão:
Segundo uma sondagem desta semana da CNN, mais de 60% dos norte-americanos opõe-se à guerra do Iraque. 52% consideram mesmo que a guerra do Iraque é uma distracção em relação ao combate ao terrorismo. Negativa em praticamente todos os pontos, os americanos parecem apenas achar de positivo no seu Presidente o facto de ele ser um líder forte (51%). 54% não o considera honesto, a mesma percentagem que afirma não compartilhar dos seus valores. 58% não confia nele e 51% pensa que Bush não domina assuntos de maior complexidade. 57% reprova a acção do seu Presidente, 42% aprovam.
Ora, então: 40% dos americanos apoia, nesta fase, a guerra do Iraque (o que não deixa de ser surpreendente); 46% partilha os valores de Bush(!), 42% confiam nele e 49% considera que o Presidente domina assuntos de maior complexidade (quase metade dos americanos vê Bush como alguém com algum QI). Eu não gosto do actual Presidente dos EUA, mas tentar diminui-lo com base naquilo que é a opinião dos americanos num dado momento, é um exercício inútil. Reagan também teve baixos índices de popularidade em algumas fases da sua governação, e é hoje um dos ex-Presidentes mais amados pelos americanos (embora considere que não vai ocorrer o mesmo com Bush). Uma pequena adenda: o Bloco de Esquerda reuniu um pouco mais de 6% das preferências dos portugueses nas últimas eleições legislativas. Na linha de raciocínio do Daniel, o que é que isto significa? Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: