09 novembro 2006

Peronismos

Não é dificil que se destaquem os mais populistas, num país sem sociedade civil, dominado pelo medo, pela falta de optimismo, iniciativa, pela incapacidade de reconhecer o mérito, que se move pela intriga e inveja. Que "batem" no povo, mas para o seu "bem". Que sobrevivem, pondo sempre "uns", contra "outros". Portugal poderia ser diferente. Só que, como diria o poeta se fosse vivo, fracas elites fazem fraca a forte gente. Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: