29 janeiro 2007

Lisboa a arder

Ainda estou a tentar perceber o que se está a passar na Câmara de Lisboa. Não gosto de comentar o que desconheço. Certo é que este processo releva o grau elevado de incompetência política que se instalou na gestão da Câmara, seja na maioria, seja na oposição (que nem sequer consegue fazer cair o executivo). A uma certa clique do PSD deve ser difícil digerir esta "barraca", sobretudo quando os seus clowns de serviço, Rui Rio e Luis Filipe Menezes (sobretudo este último), vão deixando obra. Enquanto isso, Marques Mendes vai-se arrastando pelo país, adormecendo tudo e todos. O seu discurso, ontem, algures no país real, a falar dos pobrezinhos e da saúde cada vez mais cara, foi de morrer a rir, e chorar também. Nem numa homilia dominical, na paróquia mais rural de Trás-os-Montes, o padre fala assim. Marques Mendes não tem remédio. Não há marketing que resista a tanta falta de carisma e ausência de ideias. Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: