22 janeiro 2008

o cavalinho dling dlong (sim, em letras minúsculas)

Dei por mim, no outro dia, a lembrar-me do cavalinho de baloiço que tive quando criança – muito criança mesmo (...). Fazia dling dlong quando eu o montava (...) Não faço ideia de onde anda a esta altura o cavalinho. Se o meu sobrinho mais novo ainda o desfrutou (...) Uma menina que fica com pena, uma pena terrível e sem remédio, de já não caber no selim e de já não se contentar com a repetição do embalo e do som da campainha.

f., no 5 Dias Ia fazer um comentário, mas acho que nem vale a pena.

Sexta regresso à metrópole.

Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: