01 dezembro 2015

Os inimigos da mobilidade social

Os partidos da Esquerda, ao retirarem exigência à Escola Pública, não estão a ajudar os mais novos a terem um futuro melhor. Pelo contrário, estão, desde pequenos, a retirar ferramentas e resiliência às crianças cujos pais optaram por, ou não têm outro remédio senão, recorrer às escolas do Estado. É que as escolas privadas, hoje, preparam desde cedo os seus alunos para a exigência e para os exames. Há pais a fazerem grandes sacrifícios para suportarem as propinas dos colégios, porque sabem que é na exigência que os seus filhos podem estar mais preparados para vencer as dificuldades no futuro.

Na India visitei famílias pobres, que fazem verdadeiros milagres de poupança para que os seus filhos tenham a melhor educação possível. Muitos deles saem dos bairros pobres de Bangalore para escolas e universidades em Inglaterra e nos Estados Unidos. Conheci um rapaz que, tendo sido admitido na London Business School, foi financiado pelo conjunto das famílias pobres da sua comunidade. O mesmo está a acontecer em outros países emergentes, como no Brasil. Em Angola, tinha colaboradores nas minhas equipas que, acordando às cinco da manhã, saiam do trabalho em direcção à faculdade, para completar licenciaturas e mestrados, em período nocturno, apenas regressando a casa já depois das dez da noite: três deles faziam, diariamente, mais de 10 quilómetros, a pé.

Enquanto a esquerda continuar a ler todos os Thomas Pikettys da vida e vender a felicidade e a inocência infantis aos pais e aos seus filhos, Portugal verá degradada a sua mobilidade social, com a agravante que ela hoje é medida em termos globais, e não apenas no limite das nossas fronteiras. Os filhos dos mais ricos ou dos remediados sacrificados, esses, vão continuar a tudo fazer para que os seus possam ter uma educação de exigência. Ironicamente, não deixa de ser curioso que a maioria dos responsáveis políticos da nossa esquerda tem os seus filhos a estudar ... em colégios privados. A coerência política faz-se, sim, mas com os filhos dos outros.

1 comentário:

Miguel Madeira disse...

"não deixa de ser curioso que a maioria dos responsáveis políticos da nossa esquerda
tem os seus filhos a estudar ... em colégios privados"

Alguma evidência para essa afirmação?

Fazendo uma pesquisa sobre os atuais líderes da esquerda, a única coisa que descobri é que em 2007 um dos filhos do António Costa andava num colégio privado (o da família Soares) e a outra numa escola pública; não faço ideia de onde andam as filhas da Catarina Martins.