05 dezembro 2005

Social-Democracia e Liberalismo - II

Caro Tiago Mendes, Na sequência do meu post sobre "Social-Democracia e Liberalismo" apresentas uma definição de social-democracia, na caixa de comentários, que embora não a subscreva na integra, me parece bastante interessante: "Para mim, social-democracia é juntar a um posição liberal da sociedade, um espírito reformista (não demasiado conservador), um sentido de igualdade de oportunidades em certas áreas (como a educação), e uns pós de insurance-contratualismo, que levam a defender o subsídio de desemprego, e um sistema de sáude público, que não existe nos EUA". Agora, caro Tiago, espero que tenhas a noção que esta tua forma de ver as coisas é muito tua, e a definição que apresentas de "social-democracia" talvez possa a ter alguma pertinência no futuro, mas nos dias de hoje, está fora do seu tempo; não é esta que impera. Já agora, aceita uma pequena provocação (e desafio): dizes que não há nos EUA um sistema de saúde público. Então como é que se explica que nos EUA o sector público consuma 6,6% do PIB? Já agora, sabes qual é a percentagem do PIB que o sector público em Portugal consumiu no mesmo ano com a Saúde? Pois, o que talvez quisesses dizer é que nos EUA, existindo diversos sistemas de saúde públicos, o seu acesso não é universal. Recomendo-te assim uma leitura de passagem a este meu post, e uma breve análise do Human Development Report, que é capaz de te surpreender. Não há nada como os números, diz o jurista ao economista. Um abraço, Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: