23 janeiro 2006

Comentário aos resultados do «The Moral Matrix»

Estou chocado por ser o único neo-liberal da linha progressista, um Economic Liberal que não tempera o seu pensamento com uma pitada «Moderate», «Conservative», «Social», ou «Moral» qualquer coisa. E não há nenhum ultra-liberal? Estou ainda estupefacto com a quantidade de seguidores do G. Ford que habitam a nossa blogosfera! E nenhum de "vós" é um seguidor do G. Bush Jr.? Cheira-me que andaram todos a manipular os resultados: tanta coisa, tantos «conservatives», e depois todos alinham com o Ford e com o Clinton? Acho que o Miguel Madeira devia impugnar os resultados. E a «Velha Europa», como é que a «Velha Europa Utópica» que ama Rosseau e desconhece Hobbes pode ter assim tantos adoradores do Clinton, esse neo-fascista que bombardeou o Afeganistão e o Sudão? Meus caros, read, not my lips, mas ... Sti-gler, Kirz-ner, Fried-man, Bu-cha-nan ... Shame on you, meus caros! Com tanto «tempero», em 2016 ainda vamos estar todos a apoiar candidatos neo-keynesianos ou proto-rummies do Eixo Cascais-Sintra. Rodrigo Adão da Fonseca PS: Agora falando a sério: é engraçado ver certos resultados; e sobretudo confirmar aquilo que é óbvio; que por exemplo o LA-C não anda assim tão longe de muitos de nós, e que as principais diferenças - mais do que entre Esquerda e Direita - se situam no eixo Liberalismo-Conservadorismo-Socialismo, nas suas mais diversas acepções. P.S.II: A aL. já me pôs no devido lugar, arremessando-me o «All by myself»! To the lonely Neo, no 19 meses depois... P.S.III: Afinal há mais um: o JLP, do Crítica Portuguesa!

Sem comentários: