06 fevereiro 2006

Com sorte, o Jorge Sampaio ainda te orienta uma medalhazinha...

Caro Gabriel, Podes fazer uma apologia demagógica da liberdade, colocar entre aspas aquilo que são os pressupostos essenciais para que ela seja efectiva, podes ainda postar uma foto do Chamberlain. Agora, descendo à terra pergunto-te: defendes que «a liberdade é um valor absoluto» (o que é duvidoso, até numa perspectiva liberal; Berlin e Hayek, entre outros, aceitam algumas restrições à liberdade - mas não a sua supressão - para salvaguarda da segurança e da própria liberdade). Por isso gostava de saber: até onde vais em defesa da liberdade? Estás disposto a morrer em prol da liberdade de expressão de uns jornalistas extremistas nórdicos, de inspiração duvidosa? Achas que com essa defesa «intransigente» vamos conseguir defender o nosso modo de vida e a liberdade que atingimos no mundo ocidental? «Desbaratando-a» e «esfregando-a» na cara de sociedades que não compreendem a nossa civilização e os nossos valores? E estamos preparados para arcar com os custos de uma escalada de terrorismo e quiçá outro tipo de represálias? Será que estamos bem estruturados para acompanhar todo este desfraldar da bandeira da Dinamarca? Desculpa, mas vocês parecem todos os soldadinhos de chumbo de Andersen, em defesa do Reino da Dinamarca ... Porque, como defendi aqui, não é livre quem quer, mas quem pode... Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: