02 fevereiro 2006

Sobre os limites da tolerância

O casamento dos homossexuais está novamente na ordem do dia. Como já havia antecipado aqui, o Bloco de Esquerda e seus satélites têm agora, passadas as eleições presidenciais, um ambiente favorável para «atormentar o país com as suas causas, no Parlamento e nos media». Tal não significa que os temas em questão - que o politicamente correcto classifica de «causas fracturantes» - não devam ser discutidos abertamente. Há, infelizmente, quem aproveite a abertura que a discussão merece para mostrar o seu lado mais negro, mais intolerante; este assunto - e todos os outros - podem ser debatidos salvaguardando a dignidade a que todos têm direito. Sem homofobia. Sem anticlericalismo. E, sobretudo, sem recurso ao humor e aos trocadilhos fáceis, que em geral descambam sempre no insulto. Em democracia, as causas só são fracturantes quando se ultrapassam os limites da tolerância. Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: