09 Março 2007

Esquerda Caviar (com adenda)

Olaf Breuning, ' Can someone tell us why we are here ', 2006

Bush anda pelo Brasil. Está a ser recebido pela esquerda 'petista' de Lula com pompa e circunstância. L'affaires obligent.

Ontem, ao aceder ao mail do yahoo, vi em destaque que a manifestação de protesto em S. Paulo teria reunido seis mil pessoas. Hoje, na rádio, nas notícias das nove da RFM, anunciavam-se 'mais de vinte mil'. Estranhei a disparidade dos números. No site do yahoo brasileiro divulga-se que, segundo a Reuters, o protesto contra Bush na Avenida Paulista terá juntado 10 mil. Já a Folha de S. Paulo fala em seis mil. 23 mil terá sido o número estimado de manifestantes reunidos nos diversos protestos em 17 Estados brasileiros.

O DN, por cá, não indica os números do protesto - o que faz sentido, já que num país com a densidade populacional do Brasil, numa cidade como S. Paulo, falar em seis, dez, vinte mil manifestantes é ridiculo - preferindo brindar os seus leitores com esta pérola:

(...) A limpeza chegou também aos arredores do Hotel Hilton, onde a comitiva fica alojada. Além de afastarem os mendigos que costumam recolher papel junto do hotel e os vendedores ambulantes, as autoridades destruíram três barracões que serviam de casa a quatro famílias. Tudo para que Bush não os veja da janela da suite de 300 metros quadrados, onde a dormida custa 13 mil reais (4,64 mil euros) (...)

Rodrigo Adão da Fonseca

Adenda: O jornal Público dedica uma página à visita ao Brasil do Presidente dos EUA; dois terços da página foram todas de assalto por uma 'reportagem' recheada de banalidades e dos chavões dos manifestantes, bem suportadas por uma foto carnavalesca de Lula e Bush. Salva-se a coluna de opinião de Jorge Castañeda, onde podemos perceber, para lá do pitoresco e do tom um pouco parcial do seu texto, o que no fundo representa a visita do Presidente dos EUA ao Brasil, e as razões que poderão ter levado Lula a recebê-lo.

Nota adicional: sobre o anti-americanismo, recupero o que escrevi, aqui: 'Anti-Americanismo: Razão e Emoção na Relação de Amor-Ódio com os EUA'.