04 novembro 2007

Blue Lounge recomenda

Fim-de-semana calmo em Matosas City, junto ao mar, o melhor sítio para se estar neste Outono primaveril, a ler, a espreitar os barcos, os surfistas e kiters. Vi o Elisabeth, e só tenho pena de ter lido tarde demais a crítica do Expresso e os comentários do HR, já depois de sair do cinema; um filme miserável, de facto. Recomendo a coluna de JPP do Público de sábado.


Encerro aqui o "Out of Africa" e as fotos da Namíbia.


Para me redimir desta miséria aqui, tiro da manga uma, julgo, excelente sugestão de leitura para a Rititi (e para todos os restantes, obviamente): Los hombres invisibles, de Mario Mendoza (Seix Barral), para beber do princípio ao fim.

Obrigatória uma visita à Fundação de Serralves, para ver a exposição do norte-americano Robert Rauschenberg.

Cumpriu-se a promessa e zarpou-se às tapas y cañas do Corte Inglês. Mas, depois da bola, nada bate os preguinhos da Mauritânia Real, junto à Câmara de Matosinhos; qual Galiza, qual Gambamar, qual Cufra, os preguinhos de lombo tornam irrelevante mesmo um empate do FêCêPê com os pastelinhos de belém. E as francesinhas? Provem as francesinhas.

Por falar em francesas, nada como croissants à hora do chá. Matosas é a Meca dos croissants. E há quem diga que são franceses. Ignorantes!

Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: