21 fevereiro 2007

Pensar os jornais (II)

Muito interessante a polémica entre o Paulo Gorjão ( I ) e o Luis Naves ( I / II / III ). Não me parece que a noção de 'qualidade', no sentido que o PG lhe pretende dar, seja a receita salvadora para os media em geral, embora alguns possam posicionar a sua oferta neste registo (aliás, deseja-se; e se o PG no fundo está a referir-se a dois ou três jornais ditos de referência, então concordo em boa medida com o que escreve, no contexto que descrevo aqui). Julgo, porém, que os factores criticos de sucesso são mais amplos, e passam pela criação de 'valor acrescentado' e uma maior 'focalização no cliente', ideias que me parecem implícitas nos posts do LN (e que defendi, aqui). O que têm em comum A Bola, Metro, Blue Travel ou Caras? Compreendem os seus leitores, e concebem um produto que estes valorizam, ao ponto de estarem dispostos a pagar o respectivo preço (como aqui o defini). Rodrigo Adão da Fonseca

Sem comentários: